top of page

Reação de Defesa & o Sistema de Justiça

Atualizado: 15 de set. de 2021


Uma área muito forte de pesquisa em neurociência é a modelagem com animais não-humanos. Primeiro é delimitado o comportamento que será estudado, em segundo é adquirida informações de como em situações normais esse comportamento surge e em terceiro ocorre a modelagem em laboratório de situações ambientais, químicas ou genéticas para replicar o comportamento em estudo, assim aprimoramos as informações sobre como incitá-lo e restringi-lo. Por exemplo usa-se situações de perigo para modelar comportamento de defesa. Em laboratório é visto que há certas situações de perigo que apresentam comportamentos estereotipados nos animais, isto é, os animais se comportam da mesma forma. O labirinto de cruz elevada, por exemplo, aplicado de certa forma gera um congelamento nos ratos ao centro da cruz. Humanos compartilham com mamíferos não-humanos as mesmas estratégias básicas que defesas, fazendo com que também estejam sujeitos a essas respostas estereotipadas. No caso do congelamento isso é muito interessante por existir inúmeros relatos de mulheres em situação de perigo exprimindo essa estratégia.

A Sociedade Brasileira de Neurociência e Comportamento sugeriu uma diretriz para que o conhecimento produzido pela comunidade acadêmica de neurociência trouxesse mais retorno para sociedade. Regina Lúcia Nogueira, PhD em pscobiologia, propôs um trabalho nessa linha, explicar os comportamentos estereotipados de perigo para o sistema judiciário, para ele poder se pautar nisso em suas tomadas de decisões e planejamento de medidas. Focou-se nas situações de violência a mulher e buscou a Luciana Lopes Rocha, Juíza coordenadora do Centro Judiciário da Mulher. Juntas vêm criando uma plataforma para aprimorar o sistema judiciário quanto o manejo das situações de perigo de género. Outras pessoas como Cristina Marta Del-Ben, pesquisadora da área de psiquiatria que trabalha com processamento das emoções e assimetria entre os sexos, e Cecília Leite Oliveira, Diretora do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, estão também fazendo fortemente parte desse rede. Abaixo teremos recortes da palestra Direito e Neurociência: um diálogo sobre a violência contra a mulher realizado na XL Reunião Anual da SBNeC.

 

 
 

O vínculo entre direito e neurociência é algo muito esperado. Há muito materiais hoje em dia na área, tanto no brasil quanto no exterior. Os recortes aqui apresentado fazem parte de um material apresentado pela Regina Lúcia Nogueiraxxxx na XL Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento.


47 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page